Entrevista com a tatuadora tcheca Petra Hlaváčková

Hoje, temos uma entrevista especial para o Portal Tattoo Place! O motivo da minha animação é que consegui uma entrevista com a excelente artista Petra Hlaváčková, que está entre os 25 melhores tatuadores do mundo. Petra, além de talentosíssima, é super gata e  gente fina. A bela foi formada em Belas Artes (não poderia perder o trocadilho hihi) , e atualmente mora na cidade de Praga, República Tcheca, e esbanja talento pra deixar qualquer marmanjo de boca aberta.  Falamos abertamente sobre seus desenhos, projetos, sua evolução como tatuadora e sobre seu Q a mais pra arte. Petra tem um estilo livre de desenho, mas com bastante referência em arte moderna.

Olá, Petra! Obrigada por sua atenção, e por querer falar com a gente!

Obrigada pela oportunidade de fazer esta entrevista, eu realmente gostei disso!

Conte-nos um pouco sobre o seu estilo de design e o que sua inspiração trouxe para o seu trabalho?

Desde o início eu vi a tatuagem como trabalho incrivelmente criativo, não apenas um trabalho. Todos os dias eu fico surpresa por todas as opções de como trabalhar e entender tatuagem. Eu tinha a tendência a trabalhar com um monte de gente no campo da arte. Quando eu comecei, eu não esperava que a tatuagem pudesse ser o meu trabalho um dia, porque eu tinha um enorme respeito por isso. Do meu estilo de design você pode ver exatamente quem eu sou, porque eu coloquei tudo nele. Você pode ver o que eu sou, e pelo que sou influenciada.

Quando surgiu a idéia de se tornar uma tatuadora?

Eu desenho desde que eu era criança, é uma forma muito natural de me expressar. Eu comprei a minha primeira máquina de tatuagem, quando eu tinha 17 anos na Escola Secundária de Arte e Design, onde estudei os temas de desenho científico e ilustração. Após o colegial, fui para a Universidade de especialização em animação, mas eu ainda não conseguia parar de rabiscar  as pessoas! Comecei a tatuar de verdade quando eu vim para Praga cerca de três anos atrás, quando eu tive a sorte incrível de trabalhar com Peter Bobek e Ernesto em Bobek Tattoo.

Como é a sua visão artística, para seus projetos?

No meu trabalho a parte mais importante é uma idéia, conceito e, em seguida, tema ou assunto. Esteticamente conceitos bonitos e limpos são bons, mas eles realmente não me inspiram. Eu quero lutar por um propósito maior com tatuagens, ela pode ser uma ferramenta poderosa e forma única como nos expressar e refletir a nossa auto-transformação. Eu tento fazer cada tatuagem especial, para torná-lo representativa ao estado de espírito do cliente, ou mostrar seus valores, idéias e capturar algumas coisas e sentimentos importantes de sua personalidade.

Como é o seu país?

Vejo República Tcheca como um país médio em tudo. Não é pobre, mas também não é rico; não está feliz, mas também não está triste. Acho que é porque é situado na Europa Central.  Eu me baseio no Bobek (tatuador)  em Praga, e eu faço questão de citar, porque eu acho República Tcheca pequena demais para ficar apenas lá ..

Como é ser  tatuadora lá?

É como eu sempre digo. Tudo é sua escolha.  você pode ser muito ocupado, fazer muito dinheiro ou você pode levar isso fácil, viajar e trabalhar em diferentes campos da arte. Os clientes são muito abertos a todas as idéias, eles permitem-me fazer coisas malucas com seus corpos. A cena da tatuagem Tcheca é muito variada, há muitos artistas que descobrem a experiência, que não têm medo de mover a tatuagem para outras dimensões.

Quantos anos você tem? Quando você começou a tatuagem?

Eu tenho 25 anos de idade agora, comprei minha primeira máquina de Tattoo, quando eu tinha 17 anos.

Como foi?

Era difícil, ninguém realmente me ajudou, mas eu realmente adorei a atmosfera em lojas de tatuagem. Eu via os tatuadores como deuses, e eu fazia sempre perguntas estúpidas. Eu olhava para fotos em revistas, e na época, estava hipnotizada por um ou dois artistas do tatuagem com um estilo muito diferente. Assim, o começo foi muito difícil, eu tive que aprender tudo por mim, tentando as primeiras linhas em meus amigos. Aprendi a rabalhar corretamente depois que eu vim a Praga para o Bobek Tattoo.

O que você pensa sobre estar entre os melhores artistas da tatuagem do mundo?

Eu realmente amo isso de viajar; respeito os tatuadores incrivelmente talentosos  em todo o mundo, sendo inspirada por eles .. E eu sou grata pela liberdade artística que meus clientes me dão.

Conte-nos um pouco sobre suas influências artísticas

Eu encontrei inspiração em sua maioria, na realidade, na arte, natureza, sonhos, música, perda de consciência, meditação … Eu sou fascinada pelo retorno ao básico, onde a tatuagem  teve um ritual, mágico ou função de cura. Eu também projeto no meu trabalho, meus impulsos diferentes das minhas viagens. A estética de diferentes culturas, pessoas e lugares,  influenciam as tatuagens que eu crio.

Há muitos artistas que me inspiram por sua abordagem a um processo criativo, como Václav Bostik, esteticamente Karel Malich. A partir do estrangeiro, Alex Grey, Lynch, Kandinsky, Haring … Estou me concentrando também em uma maior variedade de campos de arte, como arte audiovisual , pintura e gráficos, porque o que eu encontro em diferentes tipos ou obras de  arte, o que eu possa inserir em tatuagem, e isso mantém-me inspirada e em constante evolução como artista.

A grande influência é a música para mim, ele cria momentos bastante interessantes que influenciam o resultado da criação. Graças à música, às vezes eu me encontro em uma espécie de transe enquanto desenho.

Qual é a parte mais difícil, e a mais divertida de ser tatuadora em um ambiente masculino?

Eu acho que nada é difícil , talvez as pessoas  ainda estejam mais acostumadas a ver tatuadores homems, mas esta visão realmente está desaparecendo, eu acho que os homens estão felizes de ter mulheres neste campo da arte, que ambos podem oferecer alguma visão diferente sobre o que estamos fazendo, como e por quê. É bom, é simbiose.

Como você definiria seu estilo de trabalho?

Eu realmente não tenho definição do meu trabalho, é apenas um estilo, que surgiu na minha criação, durante todos esses anos de desenho. Eu só sei que o jogo continua crescendo e mudando, e por enquanto é a mais natural forma de trabalho para mim.

Se você tivesse que dar conselhos para tatuadores iniciantes, o que seria?

Façam tatuagens de sua necessidade interior, a partir de você. Seja humilde, seja original e paciente, aí então, você pode ter sucesso.

Como você vê o Brasil em relação à cultura da tatuagem?

Eu só sei que muitas pessoas do Brasil querem se tatuadas por artistas europeus … e eu quero fazer participação especial aí um dia, para ver a a cultura da Tattoo de vocês.

Você se tornaria uma Inked Model?

Talvez um dia, por que não? haha

Conte-nos uma curiosidade sobre você?

Eu sou obcecada por xamãs, indianos, surf, oceano, aliens, galáxias e meditação!

Conte-nos algo que você quer sobre o seu trabalho!

Estou muito grato que eu conhecer tantas pessoas interessantes e criativas todos os dias, e poder fazer este trabalho que tanto sonhei. As pessoas não são cegas! Vivam em cada momento, todo mundo é artista e nós todos somos um.

Petra encerra a entrevista deixando claro seu apreço pelo Brasil, nos deixando aqui, fotos de seus trabalhos e fotos pessoais que compartilhou conosco!

Belas palavras, Petra! Nós, da família Tattoo Place e toda comunidade tatuada do Brasil, ficamos lisonjeados com sua entrevista! Quem sabe um dia não nos vemos por aqui ? Não seria uma má idéia um talento a mais em terras brasileiras…

Grande beijo à nossa querida Petra, e aos caros leitores!

Segue abaixo, o link da Página de Petra Hlaváčková no Facebook e uma sequencia de tatuagens incríveis feitas por esta moça genial!

https://www.facebook.com/petratattoo

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado.